Como Limpar a Mente

As pessoas, após um longo dia de trabalho, procuram relaxar por estarem muito cansadas ou apenas desligar a mente. O que torna isso difícil são as distrações. Barulhos de carro, celular, tic tac do relógio, telefone, TV, computadores, facebook. Como impedir que esses barulhos incômodos ou essas distrações não tirem a sua concentração, no momento de iniciar a meditação? As pessoas que vivem nesse desgaste e nessa correria total acham esse processo de desligamento super complicado.

Há vários livros que nos mostram como aliar o sofrimento advindo do desgaste diário e do descontrole da mente. Eles nos mostram caminhos para estabilizar esse controle com a mente, além de frisar a importância para o bem estar do corpo e de como viver saudável e de forma consciente ao redor de todos. Neste artigo vamos falar do livo Sem tempo a perder – um guia útil para o Caminho do Bodhisattvva da Editora Gryphus, escrito por uma monja budista americana chamada Pema Chödrön. Nesse livro, a autora faz comentários sobre O caminho de Bodhisattva, um livro clássico escrito pelo indiano Shantideva.

Para conseguir limpar a mente e desenvolver uma concentração primorosa, é necessário conter a inquietação das nossas mentes. As pessoas que desejam viver com um domínio próprio da mente devem ter controle sobre a sua mente. A disciplina não perdura se não houver essa vigilância mental. O texto sugeri a meditação conhecida como shamantha para estabilizar a mente. O significado de shamantha é “calma permanente” ou “o desenvolvimento da paz”. A respiração é tida como o objetivo da meditação. Entretanto, independente do que for usado como objeto, a instrução se resume: quando a mente vaga, temos que trazê-la de volta gentilmente. Com esse processo, nos voltamos para as imediações de nossas experiências, para o presente. Não há julgamento ou severidade, além de ser repetido muitas vezes.

A mente que não é controlada, e sim, selvagem, não preserva uma base de manter disciplina: a de não causar dano, beneficiar os outros e acumular virtudes. Falar ou agir com gentileza se torna complicada se a mente está com o controle perdido? Como estar presente, com a mente instável? Para isso, devemos treinar para trazer a mente de volta.

Esse processo não é fácil, de trazer a mente de volta. É preciso de tempo. Cada dia que o humor é de um jeito, ou em momentos de paz ou de ataques com a disciplina de não causar dano, beneficiar os outros e acumulas virtudes, a mente deve ser trazida de volta. A partir disso, durante todos os dias, meses e anos conseguimos manter a regra de vida.

Os budistas se relacionam com os animais, proporcionam analogias animais para responder e caracterizar a inquietação da mente. Shantideva escolhe o animal mais poderoso do ambiente selvagem em relação à domesticação, os elefantes. Um elefante enlouquecido pode causar danos maiores do que um macaco ou um cavalo não domesticado. Shantideva lembra que uma mente que não concentra e sim se dispersa, ela nos arrasta para as dores mais profundas do inferno. O inferno, no budismo, é tido como terríveis acontecimentos da mente que se distrai. As emoções nos empurram, antes de conseguirmos estabilizar a nossa mente. A mente de elefante pode causar tanto estrago, que não se compara a mais nada nesse mundo.

Trazer a mente para o presente e mantê-la nele é conhecido como o treinamento da plena atenção. Caracterizando esse treinamento na nossa mente de elefante, ele seria a corda que impede o animal de destruir tudo ao redor. Essa corda traz a nossa mente para o livro que estamos lendo, para a respiração ou para a nossa caminhada. Essa corda da plena atenção traz a mente ao presente e a amarra. O treinamento para manter a mente ali requer o esforço a partir de um leve toque: a mente presente, a mente distrai, e a mente retorna. A mente estabiliza e tudo passa a parecer possível.

As ideias de Shantideva nos faz achar que esse processo é rápido, como se fosse ocorrer de uma dia ou outro. Mas a nossa mente contém barrerias tradicionais, isto é, cravos infincados que são difíceis de tirar. Devemos ter esse treinamento de retornar a mente ao presente com inteligência, paciência e gentileza. Essas qualidades irão crescer e podem cair facilmente nas nossa mãos como se fosse designado a cair. Quando ocorre a estabilidade da nossa mente, as virtudes nos alcançam de forma natural, sem a necessidade de ficar procurando e procurando até cansar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *