Lavanderia hospitalar

A Lavanderia Hospitalar tem como objetivo transformar a roupa contaminada e suja em uma roupa higienicamente limpas. Essa transformação deve ser feita com segurança, no tempo apropriado e em uma quantidade sempre estabelecida. No fim dessa transformação as roupas não precisam ficar estéreis, mas sim livres de microrganismos patogênicos que causam doença nos seres humanos.

A lavanderia hospitalar é um setor de apoio dentro do hospital. Essa estrutura é fruto de uma terceirização do serviço. Mais de 50% dos hospitais preferem contratar esse tipo de prestadora de serviços. Para que a a roupa limpa seja alcançada, há procedimentos determinados, materiais utilizados, máquinas, os recursos humanos necessários e a área física. A roupa suja que irá se tornar roupa limpa dispõe de características, como coleta, forma de utilização, identificação, embalagem e transporte à Lavanderia Hospitalar.

Entre a Lavanderia Hospitalar e os setores deve ter uma comunicação muito clara, e também com a parte de controle de infecções dos hospitais, em razão da quantidade e qualidade de roupas, além de precauções que deverão ser usadas durante o procedimento da roupa suja para roupa limpa.

Os procedimentos corretos minimizam riscos de irritação de pele, e também doenças a partir da exposição aos produtos químicos no processo da lavagem.

Esse setor de apoio, a Lavanderia Hospitalar, é muito importante em um hospital, pois está responsável no processamento e distribuição da roupa extremamente conservada e higienizada, em uma quantidade apropriada as unidades do hospital. A eficiência da rouparia, lavanderia e da costura é ligada diretamente à eficiência do hospital.

Essa lavagem correta das roupas reduzem infecções hospitalares. Foram provados que a separação da roupa suja e contaminada, propiciava a contaminação do ambiente todo ao redor. Essas descobertas fizeram com que a planta física da Lavanderia Hospitalar, as instalações, os métodos e os equipamento sofressem uma revolução.

A Lavanderia Hospitalar foi separa em duas áreas para controlar as infecções:

– Área de separação e lavagem;

– Área limpa para acabamento ( secagem, centrifugação, dobragem) e a guarda.

Essa separação é eficiente se houver lavadoras de desinfecção com 2 portas para acesso que promove a separação da área suja da área limpa, e a não circulação de pessoas da área suja na área limpa. Deve conter visores para que as duas equipes se comuniquem entre si e seja feito um controle eficiente.

A roupa contaminada apresenta uma quantidade muito grande de microrganismos. São encontrados bastonetes gram-negativos, enterobactérias e pseudomonas sp, e também bacillus sp. O perigo de transmissão parece desprezível, entretanto,  as bactérias que mais provocam infecções hospitalares são as mesmas nas das roupas. Há documentações que mostram que esses tipos de patógenos do meio ambiente ananimado são as fontes mais comuns de infecções, isto é, o homem.